O ato de Tornar-se Mãe para a Constelação Familiar

Quando relaciona-se paraíso à mãe, denota-se o quanto é bom ser mãe, receber o amor do filho, sentir a maternidade, presenciar cada descoberta do filho, desfrutar da bela experiência da amamentação. Entenda tudo que a constelação familiar tem a dizer sobre o ato de tornar-se mãe.o-ato-de-

Primeiramente devemos entender que, o antagonismo que precede a palavra padecer, nos mostra que mesmo sendo muito bom ser mãe, existem momentos que serão de desafios, tristezas, cansaço, aprendizado, sacrifício. Enfim, é um eterno exercício de abrir mão de nossas vontades às necessidades dos filhos.o-ato-de-

Ser mãe é uma tarefa difícil

Podemos perceber, portanto que, as relações que deveriam ser perfeitas naturalmente são acompanhadas de inúmeras circunstâncias inerentes a cada relação, tudo isto devido à lei natural da vida. Ser mãe é muito bom, mas tenha calma, não é um mar de rosas! As mais belas roseiras são repletas de espinhos…

Contudo, cabe nesta relação de mãe e filho, cada um ocupar o seu lugar corretamento-ato-de-e no sistema, aceitando-o com gratidão, para que a vida possa fluir da melhor forma possível, sem emaranhados.o-ato-de-

o-ato-de-Ser mãe é ser mãe, na própria essência. Ser filho é agradecer a mãe pela vida, com toda a grandeza da relação. Não é padecer no paraíso, mas sim desfrutar de todas as experiências inerentes a esta afinidade.

A relação familiar e o tornar-se mãe

Hellinger já dizia que o relacionamento com nossos pais se reflete de maneira muito forte no desenrolar de nossas vidas. Isso porque é a partir da forma como nos relacionamos com nossos pais que nos colocamos no mundo.

Quando pequenos, engatinhávamos em direção à nossa mãe. Esse ato, dentro da Constelação Familiar, representa a capacidade de agir de forma ativa na vida. O ato da amamentação também possui sua simbologia, pois com ele nós experimtornar-se mãeentamos o primeiro sucesso.o-ato-de-

Por mais que o pai e a mãe sejam figuras grandiosas, eles não deixam de ser pessoas comuns, que enfrentam problemas e dificuldades, assim como todo mundo. Os filhos costumam se esquecer disso, e acabam por exigir muito de seus pais, que eles sejam perfeitos, super-heróis. É necessário olhar para os pais de forma realista e aceitar tudo que faz parte deles, mesmo as coisas ruins.

Mães também são mulheres comunstornar-se mãetornar-se mãe

Como dito antes, por mais que sejam capazes de coisas extraordinárias, mães e pais também são pessoas comuns. Toda mãe um dia já foi também uma criança com as suas necessidades, ou uma jovem com uma desilusão amorosa. Como todas as pessoas, ela também passou por desafios e frustrações. É importante falar sobre como os filhos vêem as suas mães.

Por conta de todo o amor e proximidade envolvidos na relação, os filhos tendem a idealizar suas mães. Isso é muito perigoso pois, ao enxergar a mãe como um ser perfeito, o filho acaba por ter expectativas também idealizadas sobre sua mãe. Essas expectativas nao sao possiveis de serem alcançadas, são irreais. O filho então pode sofrer uma desilusão, ao perceber que sua mae nao atende as expectativas idealizadas por ele. Isso pode levar ele a pensar que  falta de amor ou carinho, ou que sua mãe não é boa o suficiente.

É importante que o filho entenda isso e tome sua responsabilidade, a de olhar a mãe como alguém comum. Uma excelente forma de o filho perceber isso e parando e olhando para si mesmo, para todas as dificuldades que encontra em sua vida pessoal. Nem sempre ele sabe lidar com esses problemas da melhor maneira possível, nem sempre suas atitudes são iguais as esperadas pelas pessoas ao seu redor. É necessário olhar para a mãe da mesma forma, pois ela é alguém comum como você. O filho deve perceber se suas exigências não são irreais, se ele compreende a mulher que sua mãe realmente é.

Compreendendo o que é tornar-se mãe

Para entendermos esta relação tão íntima, perfeita e ao mesmo tempo desafiadora de ser mãe é necessário compreendermos que cada filho carrega consigo sua mãe, não cabendo a nós julgá-las em momento algum, visto que serão semptornar-se mãere maiores do que nós, hierarquicamente falando, pois nos deu a vida, devendo a nós recebê-la com gratidão.

A relação da mãe com o filho é tão intensa que quando a mãe libera um filho, ela acaba promovendo o empoderamento do clã, porém quando o filho honra aos seus pais, ele prospera e flui.

A relação da mãe com o filho

Um filho “cheio” é um filho em sintonia plena com a mãe, esta energia, se assim podemos dizer, é capaz de atrair pessoas, possibilidades, realizações, prosperidade, entre muitas outras coisas.

A mãe é antes de mais nada, o modelo básico de servir aos outros, e se aprendermos com ela esta postura sempre estaremos aptos a servir também aos outros com alegria, e o sucesso deriva da pressão natural produzida nos demais em retribuir o que damos a eles na forma de nosso servir.

“O sucesso na vida tem a cara da mãe”, dizia Hellinger. O progresso tem a cara do pai. Devemos tomar a mãe em nossos corações com amor, sem queixas, exigências, temores, recriminações, acusações ou reclamações. Se formos capazes de seguir estornar-se mãetornar-se mãeta postura de total gratidão, é a base do sucesso.tornar-se mãetornar-se mãe

Conclusão

Pudemos então entender a importância da figura da mãe e do ato de tornar-se mãe para a constelação familiar. Ela deve servir de exemplo e inspiração aos filhos, mas, por ser uma mulher comum, não deve se exigir que ela seja perfeita, pois todos possuem problemas e dificuldades.

“Se a mãe permite o acesso ao pai, o filho terá sucesso. A mãe é vida. O pai é o mundo!” Bert Hellinger.

Se achou o texto interessante, não se esqueça de deixar seu comentário e de compartilhar nas redes sociais. Confira o curso http://www.constelacaoclinica.com/ caso queira aprender mais sobre constelação.tornar-se mãetornar-se mãetornar-se mãe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *