O que é ser Pai para a Constelação Familiar?

A Constelação Familiar aponta alguns quesitos fundamentais para ser pai de forma saudável e responsável. Através do ato de constelar, percebe-se que o conceito de paternidade deve abranger a responsabilidade instruir, educar e moldar os filhos. Tudo isso para que eles se tornem pessoas saudáveis, em todos os sentidos.

Nesse contexto, a constelação pode ser uma ferramenta muito eficiente no auxílio desse processo de paternidade. Portanto, neste artigo, buscou-se mostrar que ser pai é e deve ser muito mais do que prover o sustento da família, pois, a paternidade deve ir muito além.

Os 7 principais preceitos da constelação para ser pai de uma forma saudável

Os preceitos listados abaixo são baseados nos próprios conceitos  e crenças da Constelação Sistêmica Familiar acerca das responsabilidades do ato de ser pai. Bem como, mostram como a paternidade é uma oportunidade única de poder contribuir com a formação de outro ser humano. Além de pontuar que isso pode ser feito de uma forma carinhosa e saudável.

1 – CRIAR

Criar, no sentido original da palavra, que é dar origem, fazer existir. Dessa forma, mais do que uma simples ação de gerar ou do ato físico do fazer, criar é a construção de um ideal.

É um planejamento, um sonho que começa do mais profundo interior. Fazendo-nos acreditar que essa criação não pode ser uma simples obra do homem. Um novo ser é criado, gerado através de nós e injeta-nos um senso de sentido, de dever e de família. Essa sensação pode nos ter sido dada única e, exclusivamente, para nos mostrar o quanto devemos ser gratos pela vida.

2 – ENSINAR

Um dos motivos que eu acredito que não nascemos sabendo tudo, ou, pelo menos, o mínimo para sermos independentes, provém da necessidade de cuidado e do ensinar.

A dependência de um filho mostra o quanto o pai é grande. Mostra também que sem esse pai seria muito difícil, talvez impossível, a sobrevivência da criança. Os ensinamentos do pai a um filho são a certeza de que seus costumes e sua cultura familiar serão passadas por gerações.

3 – RESPONSABILIDADES

Pedir para o filho cuidar de pequenas coisas, para que se sinta capaz de realizá-las com responsabilidade. Por exemplo, se um pai pede a seu filho para que cuide do cachorro, não é porque ele mesmo não poderia fazer aquilo. Mas, para mostrar ao filho que não se pode se preocupar apenas com ele mesmo.

Neste exemplo, desde a simples tarefa de dar o nome ao cão até a importância do cuidado com a sobrevivência desse animal, o pai mostra o quanto é importante que cuide das coisas que lhe foram dadas. Assim, ela faz o filho a aprender valorizar as coisas que lhe foram confiadas e sua própria capacidade de realização.

4 – LIMITAR

Um filho precisa de espaço para poder crescer, aprender e se desenvolver. Contudo, isso não significa que não devem ser colocados limites. O limite é uma forma de mostrar-lhe que existem regras e essas devem ser cumpridas. Tudo isso para que, no futuro, ele saiba que até pode fazer o que quiser. Porém, que nem todas as coisas serão aceitáveis e que todas as suas decisões terão consequências boas e ruins.

5 – CORRIGIR

Erros sempre ocorrerão, o ser humano tem o costume de mesmo quando alguém fala que algo é ruim. Ele mesmo tem de provar para realmente validar que aquilo é ruim para ele. Um pai deve corrigir os erros de seu filho e mostrar-lhe que ele não precisa aprender somente através da experiência pessoal.

Há também a experiência adquirida através da sabedoria, do ouvir e observar, e, para isso, um pai precisa estar próximo de seu filho.

6 – PERDOAR

Acredito que o perdão é uma das maiores demonstrações de amor do ser humano. É você reconhecer que foi machucado, aprender com essa situação, e descansar sobre o assunto. Mostrar para o filho que o seu bem-estar é mais importante que o erro cometido por ele, que coisas ruins acontecem para lembrar a ele que o pai sempre estará ali, para acolhê-lo, abraçá-lo e mostrá-lo o quanto o é importante.

7 – AMAR

Amar seu filho com todos os seus defeitos, falhas, condutas, habilidades etc. Amar ao ponto de dar a vida por ele, amar ao ponto de ensiná-lo todos os dias, de limitá-lo todos os dias, de corrigi-lo todos os dias, de perdoá-lo todos os dias, amar ao ponto de amá-lo todos os dias, sob qualquer circunstancia.

Ser pai através do olhar da Constelação Familiar Sistêmica

Ser pai na Constelação Familiar Sistêmica é muito mais que colocar uma criança no mundo. É saber que esse ser humano carregará você e sua ancestralidade pela vida inteira dele. É saber que mesmo se você não o criar, ainda assim, ele continuará sendo seu filho. Bem como, os seus descendentes também serão seus descendentes. 

A responsabilidade de ser pai vai muito além dos sete itens citados acima, é saber que se você não tem uma questão resolvida, terá em seu sistema um emaranhamento, e, então, dará abertura para que talvez um descendente seu reviva esse assunto.

Por isso, achamos muito importante a constelação de pais para que eles passem esse ensinamento adiante. Diminuindo, assim, a possibilidade de sofrimentos e a recorrência de fatos que são alheios a nossas escolhas conscientes. Portanto, seja um pai e não um gerador de filhos.

Se você quer se aprofundar mais sobre o assunto, conheça e se inscreva no Curso de Formação em Constelação Sistêmica para que você aprenda mais sobre o ato de constelar e traga todos os benefícios da constelação para a sua vida.

Texto escrito pela autora Renata Santos de Araújo, exclusivamente para o nosso Blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *