Inovação e os pilares da paz: o novo mundo

O século XXI trouxe inovação, grandes avanços e desafios para a humanidade.

Ao mesmo tempo em que ganhamos novas tecnologias e novos avanços e descobertas científicas em diferentes setores, temos um distanciamento do equilíbrio social.

Pois a lógica mercadológica é de continuar a produzir, é de ter ganhos exponenciais, sem observar a necessidade particular de cada um e na de todos.

Como um sistema orgânico universal.

 

Pilares da paz e a inovação

Os pilares da paz nos faz refletir não só para o momento atual, mas de como a humanidade tem se colocado em frente aos desafios que foram surgindo no último século.

A aceleração científica e tecnológica vivida no século XX nos distanciou de toda a relação existente comigo mesmo, com o outro, com a sociedade e com a natureza.

As visões distorcidas da realidade nos levaram a uma sociedade dependente e extremamente desigual.

 

O que é inovação

A inovação no imaginário de grande parte das pessoas está atrelada apenas a ambientes tecnológicos, a empresas de base tecnológica e a países desenvolvidos.

As inovações do século passado surgiram a partir de necessidade identificadas e a resolução delas por parte de grandes empresas ou pessoas que foram disruptivas no momento histórico.

O que vemos nos últimos 20 anos é uma aceleração exponencial em busca de inovações não para apenas aumentar o escopo de produtos e serviços oferecidos ao mercado.

Mas como forma de contribuir com o progresso desejado pelos clientes, para atender suas necessidades, para compreender qual caminho se deve seguir e ser mais assertivo na inovação.

 

Busca pela inovação

Dessa maneira, a reflexão que podemos trazer seria que os quatro pilares da paz está diretamente ligado com a busca pela inovação.

Que não é o benefício financeiro que está envolvido, mas progressos que atendam a minha necessidade, do outro, da sociedade e em benefício ou gerando o mínimo de impacto ambiental possível.

A humanização das relações entre empresas e pessoas liga-nos a algo maior a algo que não estará escrito a fórmula em livros.

Mas que o mundo construa novos caminhos com um olhar, uma atitude e uma ação de paz, uma consciência planetária de equidade.

 

Gestão da inovação

Para que a gestão de uma inovação seja bem realizada é preciso parar, ouvir, sentir e transformar para ter novos caminhos, o “famoso pensar fora da caixa”.

O momento atual de afastamento social exige que tenhamos uma reconexão com a coragem de agir com o coração para nós, para o outro, para a sociedade e com a natureza.

 

Cultura da paz

Acordando para uma nova cultura e relação de paz, para que sejamos metaforicamente e essencialmente um organismo vivo chamado planeta.

Em tempos de isolamento social, estamos sendo chamados a ser mais solícitos, a sermos mais éticos e a ter uma conduta de cidadania.

Pois cuidar de nós mesmos é também cuidar do outro, da sociedade e da natureza.

 

Processo de inovação

O processo de inovação possui vários caminhos, mas todos visam atender as necessidades dos clientes, a partir da busca por problemas e oportunidades.

A jornada inicia com o olhar do outro, buscando as suas necessidades e anseios.

Dessa forma, os dados coletados servem de insumos para validarmos junto aos consumidores os problemas levantados.

Podemos pensar que nessa primeira atividade temos a relação da cultura da paz com nós mesmos e com o outro, estamos sendo sujeito da relação.

 

Anos 70

Até a década de 70 as empresas não produziam e colocavam enormes quantidades de produtos no mercado e vendiam produtos e serviços sem contar a opinião dos seus usuários.

Sem levar em conta suas particularidades, a lógica era a produção em massa e não havia relação humanizada entre os agentes que ofertavam e os que compravam.

 

A mudança

Nos últimos anos tivemos uma mudança radical, que ainda é sentida pelas empresas que não acompanharam os processos e que estão a margem da revolução mercadológica.

Hoje elas buscam vender valores, experiências que individualmente terá impacto social.

E nesse momento a cultura da paz vem de encontro do pensar por mim, pelo o outro e pela sociedade.

 

Inovação no século 21

A consciência de ter o olhar coletivo nos permite ir mais longe, nos abre novos caminhos, estabelece uma relação calcada em pilares que beneficiam a todos.

A gestão das inovações no século XXI tem como caráter o de ser ligado aos desejos dos clientes, a possuir uma escuta ativa.

Também a ter um olhar fora da normalidade, uma atitude de conexão com seu cliente e por consequência com a sociedade e com a natureza.

 

Empresas

As empresas podem e devem continuar buscando produzir, vender e lucrar, mas precisam observar que seus clientes mudaram seus padrões e valores.

O progresso desejado por eles não está mais envolvido apenas em novos produtos e serviços, em novas tecnologias.

Mas está ligada a necessidade de colocar em suas vidas para progredir, sem afetar o outro, a sociedade e o planeta.

A inovação não pode ter impacto ambiental negativo, não pode ser algo descolado da interação com a natureza.

Com o caráter ético de ser inovador e não perder o equilíbrio do sistema orgânico no qual vivemos.

 

Pilares da cultura da paz

A cultura da paz com seus quatro pilares, do olhar para si, para o outro, com a sociedade e com a natureza liga-se com o caráter ético das empresas inovadoras.

Que conduzem suas atividades em equilíbrio com elas mesmas, com as outras empresas, com a sociedade e com a natureza.

Empresa é feita de pessoas, assim como o mundo é feito de pessoas e o que determina a equidade do sistema é o poder de recomeçar.

Inovar, evoluir com valores sociais e éticos acordando para uma nova cultura de paz em todos os segmentos.

 

Ensino e aprendizagem

Dessa forma, todos temos algo a ensinar e aprender, então como está configurado o seu olhar para essa nova realidade?

Como podemos atuar de maneira construtiva e benéfica para todos?

 

A crise de 2020

A Pandemia nos deu a chance de reconexão física, mental, espiritual, econômica e social com o todo, como sairemos desse momento ainda não sabemos.

Contudo, sabemos que precisamos trilhar novos caminhos, como indivíduos, como empresas e como sociedade.

Quando queremos chegar rápido, melhor irmos sozinhos, mas quando queremos chegar longe, vamos acompanhado. Qual caminho seguir até dezembro de 2020?

 

Esse texto sobre Inovação e os pilares da paz: o novo mundo foi criado por Fernando de Souza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *