O que é Alienação Parental? Olhar da Constelação no Caso

O que será que pode ser definido como a alienação parental? Apesar do próprio nome já dizer muito à respeito do assunto. É importante que se saiba tudo à respeito deste caso.

Por isso, no texto de hoje você irá entender de uma vez por todas o que significa o termo alienação parental. E ainda, entenderá também de que maneira é possível utilizar a constelação familiar no auxílio do Caso. Continue lendo este texto para entender tudo à respeito!

O que é Alienação Parental?

A alienação parental é a interferência psicológica na formação da criança ou do adolescente. Podendo então ser promovida por um dos genitores, pelos avós ou por qualquer um que tenha a criança ou adolescente sob a sua guarda.

Fazendo assim com que esta criança ou adolescente repudie o genitor(a). Ou até mesmo cause prejuízo ao estabelecimento ou à manutenção de vínculos com o mesmo.

A primeira Manifestação da Alienação Parental

A primeira manifestação da alienação parental ocorre quando um dos genitores ou o responsável pelo infante, começa a denegrir a imagem do outro. Ferindo assim o direito da criança de uma convivência saudável entre seus genitores.

Algumas condutas praticadas por estes alienadores podem ser facilmente identificadas como: 

  • Omitir deliberadamente ao genitor(a) informações pessoais relevantes sobre a criança ou o adolescente. Inclusive escolares, médicas.
  • Alterações de endereço;
  • Prestar falsas queixas contra este;
  • Denegrir a imagem.
  • Dificultar a autoridade do outro. 

Características de um Alienador

Geralmente o alienador apresenta características de sedução e manipulação. Além de demonstrar para a criança que o genitor(a) é desinteressante. O mesmo arruma programas de última hora ou algo em que prenda a atenção da criança. Provocando assim uma resistência da criança e, até desinteresse em estar com o outro genitor(a).

São casos corriqueiros vistos na vara de família e, muitas vezes está ligado na ação de divórcio e guarda. Independente da separação dos pais, há de se preservar o bem-estar e o direito da criança.

O Sinais da Criança que Sofre por Alienação Parental

Em um primeiro momento poderá ser observado nas crianças ou adolescente sinais como:

  • Angústia;
  • Ansiedade;
  • Nervosismo;
  • Depressão.

Tudo isso devido a alienação parental sofrida por esta. Podendo desta forma provocar não só o sofrimento na relação filial. Mas também na formação da criança em seus aspectos intelectual, cognitivo, social e emocional.

Quando o Judiciário atua para coibir a prática da alienação parental. Adota medidas de preservação psicológica da criança. Buscando assim a participação dos pais e a conscientização dos mesmos em relação ao prejuízo do bem estar do infante.

A Constelação Familiar no Caso de Alienação Parental

É importante associar a constelação familiar sistêmica às medidas adotadas pelo judiciário. Até porque o judiciário busca resolver o problema. Não tratando especificamente da causa.

Até porque a ajuda psicológica e o acompanhamento dos pais algumas vezes não é suficiente. Sendo assim, a complementação com a técnica  da constelação familiar sistêmica como método de conciliação e mediação regulada pelo Conselho Nacional de Justiça, busca um direito mais humanizado. Tratando assim a causa da lide, resolvendo esta questão, não há recorrência no judiciário.

A Constelação No Âmbito Judiciário

Esta técnica da Constelação Familiar Sistêmica no Judiciário começou a ser utilizada pelo Juiz Sami Storch. Onde o mesmo passou a utilizar a ferramenta para identificar qual é o verdadeiro motivo da questão. 

Sendo assim, uma vez que as partes tenha a possibilidade de ver e se conscientizar do problema, as partes podem entabular acordos visando o bem estar da criança.

Podemos dizer que além da mágoa em alguns casos, há também o egoísmo e a difícil aceitação da divisão. Tomando a criança ou o adolescente como seu ou sendo sua única parte. Por isso, a constelação pode revelar a não aceitação de alguém que tenha sido excluído do ciclo familiar ou outros problemas.

Na realidade, a separação e a decisão de guarda envolve sofrimento, mudanças e desafios. Por isso, é necessário conversar muito, utilizar técnicas além das terapias convencionais com as crianças. Para que assim elas tenham o mínimo de impacto possível.

Os Benefícios de Trabalhar a Constelação no Caso

A Constelação familiar busca que as partes compreendam que o infante. Tanto é que parte de um como de outro e que as leis do amor precisam ser respeitadas. Para que assim este infante tenha um desenvolvimento saudável.  

A conscientização desses pais é um primeiro passo. Por isso, é de suma importância para a resolução. Um advogado constelador pode evitar a judicialização, promovendo um entendimento claro entre partes. Utilizando somente o judiciário para homologar o acordo.

Conclusão

Uma família que esteja passando por esta situação de alienação, cabe a uma das partes dar o primeiro passo. Buscando a constelação familiar sistêmica como uma técnica de ajuda de auxílio para a questão da alienação. Até porque, é a criança a mais prejudicada quando os pais não conseguem chegar ao entendimento.

Quer saber mais à respeito da Constelação Familiar? Ente agora no Blog Constelação Clínica e saiba tudo à respeito desta técnica!

O artigo presente foi escrito por Silvia Fabiana Pinto Martins, exclusivamente para o nosso Blog Empatia Humana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *