Interpretação Freudiana para os Sonhos

Em 1900 Freud escreve o seu primeiro livro a interpretação dos sonhos e com isso revolucionou os estudos sobre o inconsciente. A interpretação freudiana descreve que os sonhos podem ser interpretados e a tese central de Freud é que os sonhos tem significado que representam realizações e desejos.

Para Freud o sonho se forma por aquilo que ele chama de restos diurnos. Ou seja, fatos, acontecimentos, pensamentos e afetos do mesmo dia, ou fatos recentes experimentados pelo sonhador em termos daquilo que aparece. Ou seja, um desejo inconsciente, que atravessa a barreira, se liga a esses elementos da memória recente. Assim os articula dentro de uma determinada questão relativa ao desejo inconsciente.

Um sonho não tem um sentido apenas, ele tem diversos sentidos, um mesmo sonho relatado em uma época e depois o mesmo sonho relatado em outra época o sujeito pode levar para outro sentido diferente e Freud chama isso de sobredeterminação, essa intricada rede de determinações que compõe a vida psíquica e que fundamentalmente o sistema inconsciente.

Interpretação freudiana dos sonhos

A interpretação freudiana dos sonhos considera que:

  • Seus sonhos podem estar falando de desejos. Para Freud, todo sonho tem um significado que se liga a uma realização de um desejo reprimido pela sua consciência. Normalmente esses desejos são primitivos e, portanto, essa repressão surge por serem desejos vetados pela moral vigente da cultura na qual o sujeito está inserido. Ou então até mesmo por estar relacionado a questões e aspirações pessoais dele. Os sonhos então realizam esses desejos de alguma forma simbólica, para compensar essa repressão.
  • Seus sonhos podem estar relembrando coisas que aconteceram na véspera. Freud, por ter uma visão causalista, acredita que a maior parte das referências do seu sonho vem das lembranças recentes. Para Freud, os sonhos podem ser interpretados cientificamente e estabelece um contraste entre o conteúdo manifesto e o conteúdo latente.
  • Conteúdo Manifesto é o conteúdo do sonho lembrado, ou seja; o relato descritivo do sonho feito pelo sonhador.
  • Conteúdo Latente, é aquele conteúdo que está no inconsciente, é o significado psicológico oculto do sonho que está relacionada ao cumprimento dos desejos. Freud acreditava que o conteúdo latente dos sonhos é suprimido e escondido pela mente subconsciente, a fim de proteger o indivíduo de pensamentos e sentimentos que são difíceis de lidar e que descobrindo o significado oculto dos sonhos, as pessoas pudessem compreender melhor os seus problemas e resolver os as dificuldades que elas criam em suas vidas, o que ocorre por meio da análise uma vez que vai sendo revelado.

A censura dos sonhos

Em outras palavras, o conteúdo manifesto é o produto do trabalho do sonho que consiste em não deixar aflorar na consciência algo proibido pela censura. Enquanto o conteúdo latente é o produto da interpretação do analista em busca do verdadeiro significado do sonho. Tendo em vista essa relação entre o conteúdo manifesto e o conteúdo latente, os sonhos podem ser divididos em três categorias. Os que fazem sentido, os que não fazem sentido e os confusos e desconexos (a deformação no sonho é um ato de censura).

Quanto mais rigorosa a censura, maior o disfarce dos sonhos para não vir à tona o desejo recalcado. A censura existe a fim de impedir a produção de angústia ou afetos aflitivos. Por isso, quando um desejo reprimido foge da censura, total ou parcialmente, ocorrem os “sonhos de angústia” ou “sonhos de ansiedade”.

O processo de elaboração dos sonhos

Para Freud, os sonhos mais abstratos passam por um processo de maior elaboração onírica. Com o intuito de diferenciar o processo de formação desses sonhos simbólicos ou seja; deformada. E então os sonhos se apresentam por meio de 3 características:

  • Condensação Segundo Freud, está presente em muitos de nossos sonhos, mas não necessariamente em todos. Os conteúdos condensados representam apenas parte do sonho latente e para serem condensados precisam possuir um núcleo em comum. O resultado é uma imagem que contém características de vários objetos em apenas um, tendo assim caráter fantasioso.
  • Deslocamento É um modo de funcionamento do inconsciente. A censura faz uso da realização do deslocamento e da condensação, mas não é responsável por sua formação. Embora Freud ainda compreenda que o deslocamento é, diferentemente da condensação, obra da censura, o que posteriormente essa idéia se modificará.
  • Figurabilidade. A figurabilidade da elaboração onírica constitui na transformação de pensamentos em imagens visuais. É a linguagem na qual se traduz conteúdos latentes em manifestos, muito embora nem todos os conteúdos sejam traduzidos. Alguns realmente aparecem em forma de conhecimento ou pensamentos. Segundo Freud, é uma passagem difícil, como da escrita alfabética, onde se define as entonações de palavras, quantidade e regras, para uma escrita pictórica, ou seja, de imagens.

É importante lembrar que os mecanismos de condensação e deslocamento não se restringem ao processo onírico. Por se tratarem de modos de funcionamento do inconsciente, atuam nos lapsos, chistes e sintomas.

Conclusão

Portanto, pudemos observar como é o processo de interpretação freudiana para os sonhos. Os sonhos geralmente significam algo sobre a sua vida ou sobre seus desejos, algumas vezes reprimidos pela censura. Eles são formados de diferentes formas, e por isso é difícil interpretá-los às vezes.

Se achou o texto interessante, não se esqueça de compartilhar e deixar seu comentário. Cheque o curso www.psicanaliseclinica.com para aprender mais sobre psicanálise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *