Família e formação do indivíduo

família e formação do indivíduo

A família e formação do indivíduo é a primeira sociedade que convivemos e que levamos por toda vida, portanto, base para a formação qualquer pessoa. É no convívio familiar que aprendemos, um com o outro, a respeitar, partilhar, ter compromisso, disciplina e a administrar conflitos. É importante que cada um carrega um histórico de experiências, aprendizados e lembranças que apresentarão reflexos por toda vida. Para saber mais, leia o artigo a seguir.

 

O núcleo de uma família

O ser humano em sua jornada durante a vida, apresenta determinados comportamentos que aparentemente não tem relevância ou explicação, porem se observarmos o núcleo familiar daquela pessoa faremos descobertas interessantes, um exemplo disso é, uma família que tem o habito de falar alto, se observarmos atentamente os filhos ou aprenderão a falar alto ou terão repulsa a alguém que tenha uma entonação de voz alta, mesmo que de forma inconsciente herdamos hábitos, criamos repulsas ou apresentamos patologias em consequências de nosso contexto familiar.

A todo momento as pessoas buscam respostas para determinadas doenças, incômodos físicos ou psicológicos e passam grande parte da vida fazendo terapias, se automedicando, com rotinas em consultórios médicos na tentativa de aplacar sua dor., dor essa que muitas vezes não tem conexão aparente alguma com aquilo que esta guardando em seu inconsciente.

Vemos frequentemente pessoas que ao sair do seio familiar para alçar seus próprios voos, tendo que enfrentar seus monstros e ir de encontro a tudo aquilo que até tal ponto foi, o “certo”, começa ai as dores, os transtornos, as histerias e também as descobertas.

 

A criança e a alienação parental

Vemos muitas crianças hoje vivendo de maneira muito dura a alienação parental quando falamos de pais separados, e ela tem que se adaptar a viver em dois lares, com costumes e hábitos diferentes, enquanto um constrói o outro destrói e vai abrindo um abismo enorme na formação dessa criança, enquanto ela tenta agradar a para tentar evitar conflitos externos, nesse momento surgem ai os sentimentos de não pertencer, de inferioridade, auto sequestro, e uma serie de eventos que vão acompanha-lo por toda a vida.

Esses mesmos sentimentos quanto potencializados, se materializam em dores físicas, em isolamentos social, e por essa razão muitas pessoas nunca conseguem encontrar solução para determinadas enfermidades e não aprendem a viver com elas, mas a suporta-las e tentam sufoca-las.

Pessoas se casam e nunca conseguem ter uma vida matrimonial tranquila porque seus traumas e heranças familiares lhe acompanham por toda a vida e por isso vemos adultos tendo comportamento de criança, é aquele brinquedo que nunca pode ter, agora ele compra em excesso para o filhos.

Foi aquela criação a ferro e fogo, que agora ou ele repete com os filhos ou perde a mão na hora do “não”, e assim vão enchendo os consultórios psicológicos, médicos e até mesmo as igrejas, sim porque muitas vezes a dor é tão grande que a busca pela espiritualidade traz um bálsamos a alma, embora muitas vezes com todas as orações, leituras e consciência de tudo que o cera ainda assim a herança está lá guardada em algum lugar do seu eu.

 

A família e a formação do ser humano

Para tanto é importante dizer que a família tem papel fundamental na formação do ser humano e por essa razão é preciso discorrer sobre tal questão com cautela, pois uma base familiar sem equilíbrio emocional, onde os pais discutem na frente dos filhos, onde os filhos não enxergam os pais como a autoridade maior do lar.

Tende a ser sabotado, a família precisa ter suas estruturas sustentáveis, assim como na atualidade se faz necessário se falar de emoções, de comportamento, de aceitação, para tentarmos ter uma sociedade mais saudável, com menos traumas, menos ansiedade, menos depressão.

A primeira sociedade a qual o cidadão é inserido é a família e se essa não estiver preparada para recebe-lo, algumas consequências futuras irão se apresentar de maneiras inimagináveis, é preciso curar o homem para curar o mundo, é preciso romper alguns tabus, o ser humano precisa e deve aprender falar de seus medos, seus demônios, é preciso aprender a dizer não.

 

Saúde emocional e pandemia

Assim como cuidar da saúde emocional do outro, que é tão importante quanto cuidar de si próprio, o individualismo assim como o julgamento são males que assolam a humanidade, e podemos observar isso agora nesse momento em que o mundo enfrenta a pandemia do Covid 19.

Quantos casamentos terminando, quantos feminicídios, crianças adoecendo por ansiedade, e muito disso pela falta da essência familiar, estamos sendo forçados a nos trancar em casa, a diferença esta no que podemos fazer com esse isolamento social, ou sairemos dele melhores e nos conhecendo melhor, ou totalmente doentes, física e mentalmente, é um momento de descoberta, de transição de aprendermos a nos apaixonar por nós mesmo, a gostar da companhia dos nossos e da nossa também, tempo precioso para ler um livro, ouvir uma música, aprender algo novo, nos redescobrir, é um reset no mundo inteiro.

 

Conclusão: família e formação do indivíduo

A família é o nosso maior bem, e ela precisa ser saudável emocionalmente para pode entregar pessoas potencialmente felizes, segurasse capazes, como diz Daniel Goleman “Quando eu digo controlar as emoções, me refiro as emoções estressantes e incapacitantes. Sentir as emoções é o que torna a nossa vida rica”. Uma sociedade familiar saudável, significa cidadãos emocionalmente equilibrados e mais abertos aos desafios da vida.

O texto Família e formação do indivíduo foi elaborado por Lucimar Beltrão exclusivamente para o Portal Empatia Humana. Gostou? Veja nossos próximos posts. Deixe abaixo seu comentário, com críticas, sugestões ou dizendo sua opinião sobre o tema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *