O caminho da paz: como alcançar a paz?

caminho da paz, como alcançar a paz

Palavras inspiradoras sobre o caminho da paz para a Cultura da Paz.

Estas, são encontradas em diversos discursos feitos por pessoas igualmente inspiradoras.

Trazendo à tona uma reflexão que para muitos pode se apresentar desconfortável, mas com certeza necessária: a caminhada para alcançar o nível de bem estar que tanto se almeja.

 

A paz

Paz é um termo que tem vários entendimentos.

Para alguns é a ausência de conflito, para outros a não- violência, para um terceiro público é bem estar, simplesmente.

Não importa o nome que é escolhido, os termos que são preferidos, mas como se realiza a trajetória para encontrá-la.

 

A guerra: no caminho da paz

Uma vez, em minha busca por ensinamentos e compreensões do mundo, encontrei um senhor muito sábio que me disse:

“Não se encontra a paz sem passar pela guerra! Não minta, não traia e não engane, assim encontrarás a paz” Sim!

A guerra sempre será necessária para chegar à plenitude da paz pois combatemos tudo o que é contrário com base nos princípios éticos, e a verdade, lealdade, fidelidade estão entre elas!

 

Reflexão

Somos seres carregados de pensamentos, lembranças, situações traumáticas, recalques, problemas não resolvidos, palavras não ditas, entre tantas outras “lesões emocionais” que caracterizam uma alma doente.

 

Procurando o caminho da paz

Algumas pessoas possuem dores e conflitos internos e externos maiores que outras, mas para ambas são apresentados dois caminhos quando estas expressam vontade genuína de se curar para encontrar a paz e levá-la por onde for.

Um dos caminhos é florido, cheio de aromas, cores e delícias. O outro com pedras, obstáculos, espinhos e aridez.

 

O caminho mais agradável

Geralmente, o caminho mais agradável aos sentidos é a opção mais aceita.

Pois no primeiro passo dado em sua direção pequenas doses de “analgésicos” em forma de belas canções, discursos calmos e relaxantes, frases de efeito, cores e perfumes que inundam de alegria e êxtase anestesiam a dor, diminuem a ansiedade, acalmam o coração, a mente e a alma.

Mas no primeiro contratempo da vida, um deslize que esse cenário não previa, vai-se tudo por terra devido a gatilhos que tiram o ser daquele momento de serenidade.

 

O caminho turbulento

O caminho árduo e tortuoso por suas vez, leva o ser ao encontro dos seus fantasmas, dos inimigos internos, exigindo que haja uma batalha a cada passo para que esses monstros que assolam e criam nós na existência sejam destruídos.

 

A ética

Então vem os princípios éticos que estão na fala do mentor sábio que relatei:

Verdade, lealdade, fidelidade: para encontrar a paz precisamos agir com a verdade, sem mentir para os outros e nem pelos outros.

 

Estratégias para seguir no caminho da paz

Admitir erros, falhas, sendo fiéis a nós mesmos e aos outros. Manter a lealdade àqueles que nos são caros, aos sentimentos.

Ter coragem de assumir os erros, que nos fazem tão humanos e nos dão oportunidade de evolução, praticando a limpeza e reforma do nosso interior mental e espiritual.

Como um roupeiro que, para ser limpo, precisamos tirar tudo o que há nele, lavar, passar, dobrar, higienizar cada gaveta, prateleira.

Talvez até eliminar alguns itens que estão rasgados ou que só estão ali pra ocupar espaço, por não serem mais usados há tempo.

 

Antes de procurar o caminho da paz

Como encontrar a paz se não estou com meu interior limpo e equilibrado?

Fazer toda a “faxina emocional” é demorada pois, assim como tudo o que carregamos é resultado de uma vida inteira, começando quando nascemos.

Então, é ilusão acreditar que uma varinha de condão ou o que muitos chamam de milagre aconteça para você alcançar o teu objetivo pacífico.

É dolorido o caminho da libertação para a paz, mas quando se escolhe o trajeto pedregoso, vai junto com o caminhante a espada da justiça.

 

O caminhante

O caminhante, guerreiro de suas batalhas pessoais, passa a ser justo consigo mesmo, olhando para cada situação marcante de sua vida, para as pessoas que compõem cada cena da sua existência deixando as próprias marcas, boas e ruins.

Olha para seus traumas e dilemas arraigados que o fizeram se sentir vítima e combate cada um deles com sabedoria pois encara nos olhos o motivo de seus fracassos:

Os sentimentos e pensamentos autodestrutivos.

 

O caminho suave

E eles estão ali porque foi dado permissão para que eles fizessem morada na alma.

Dando voz e expurgando de vez os sentimentos e lembranças que geram conflito com seu mundo interno e refletem nas suas relações exteriores, é possível que então possa ser dado o passo em direção ao caminho suave.

Tudo porque foi compreendido e arrancada a raiz do males da falta de paz.

 

As relações

A relação com o mundo e com você mesmo muda, pois existe agora uma armadura baseada na verdade, fidelidade e lealdade a si mesmo.

Se não estamos bem, íntegros, fortes e evoluídos, como vamos ajudar o outro?

Como vamos querer erguer o outro quando nem nós mesmos temos forças para nos mantermos em pé?

Como vamos tirar do “fundo do poço” o outro se estamos mais afundados que ele?

 

O caminho é o meio, mas a paz está no interior

Não conseguimos promover a paz se ela não fizer parte de nós, assim como não somos dignos nem de falar sobre amor, perseverança, coragem, tolerância se não tivermos ambos nas nossas atitudes, ações.

Cada ser humano que deseja a paz deve enfrentar sua guerra.

Deve lutar, batalha por batalha, consciente de que nem todas as batalhas são ganhas, mas deve-se manter firme no caminho escolhido para eliminar toda a origem dos seus conflitos interiores.

Tratar sintomas apenas ameniza a dor por um instante mas não cura a doença.

 

O caminho da paz está próximo

O caminho de beleza, flores, delícias está logo ali, depois daquela última pedra a ser retirada e com certeza, será permanente.

Depois que o mundo sentir o efeito da contemplação de tudo o que vem para purificar a alma, apenas o que faz jus ao sentimento de liberdade e vida será exaltado.

Eis que só verá a luz e a gratidão em tudo o que seus sentidos tocarem!

 

Seja grato

Paz e Gratidão aos caminhos que se cruzam, do amor e da dor, da lição e do aprendizado, da busca e da escolha, das gotas de sabedoria do Universo que conspira para a evolução da Humanidade.

E nos dá a opção de erguer a Espada da Justiça para nossa luta pessoal, incentivando outros também a escolherem o seu próprio caminho, empunhar a sua espada e encontrar a sua verdadeira paz.

 

 

Esse texto sobre O caminho da paz: aplicando a Cultura da Paz foi criado por Ana Slussarek.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *